19.07
notícia postada por Cynthia Duarte

Ontem, dia 17 de julho, Harry esteve na BBC Radio 1, participando do programa de seu amigo Nick Grimshaw, o “Breakfast Show”, onde falou sobre “Dunkirk“.

Além de falar sobre o filme, que estreia no Brasil em 27 de julho, Harry bateu um papo com o apresentador e ainda participou de uma brincadeira que consistia em monitorar os batimentos cardíacos do cantor enquanto algumas fotos eram mostradas para ele.

Confira o vídeo do programa e sua tradução completa logo abaixo:

Nick Grimshaw: Segunda de manhã no Radio 1 Breakfast Show e nosso convidado está aqui! Olá estrela de cinema, Harry Styles.

Harry Styles: Olá!

NG: Como você está?

HS: Muito bem, obrigado.

NG: Você está bem ai com essa coisa? (se referindo ao fone)

HS: Sim. 

NG: Você quer outro?

HS: Ok, eu estou bem agora.

NG: Como você está? Como está a vida?

HS: A vida está boa. Eu estou bem. Como você está?

NG: Eu estou bem, muito bem.

HS: Obrigado por me receber de volta.

NG: De nada. É a sua 1800ª aparição no Breakfast Show. A terceira vez esse ano.

HS: Sim.

NG: Você sabe que tem uma cota de apenas 3 (aparições) ao ano.

HS: Eu sei. 

NG: Então depois disso, te vejo ano que vem.

HS: É como tomar injeção de cortisona. Apenas fica dormente depois de terceira.

NG: Depois dessa entrevista, não vai funcionar então…aproveite isso.

HS: Obrigado.

NG: Como é ser um astro do cinema? Por que é disso que nós vamos falar essa manhã, nós vamos falar sobre Dunkirk.

HS: É…é tem sido muito divertido. Eu não sei. É divertido por que você quase, é como um fim tão abrupto quando você para de filmar, você meio que esquece que aconteceu e daí o filme sai obviamente, um bom tempo depois.

NG: Você quis atuar antes, quando você era pequeno? Você atuou?

HS: Eu atuei quando eu estava na escola, sim. Eu fazia produções escolares, o que não é a mesma coisa mas…

NG: O que você fazia?

HS: Nós sempre fazíamos versões estranhas das coisas. Então nós fizemos “O Calhambeque Mágico (Chit Chit Bang Bang)” mas eu era o Buzz Lightyear. 

NG: Bem diferente.

HS: Então o enrendo sempre fazia algo de maneira estranha.

NG: Então como o papel de Buzz Lightyear em “O Calhambeque Mágico” meio que te inspirou para ser o Alex em Dunkirk?

HS: Eu acho que é só, ele é bem forte, ele sempre dá o seu melhor. 

NG: Ele é destemido.

HS: É, ele é destemido! Ele gosta de verde. E…é.

NG: Você mencionou isso para o Christopher Nolan?

HS: Não.

NG: Não? Que bom. Quando eu ouvi que você faria um filme, eu fiquei:”Oh ok, isso é legal.” Aí quando eu ouvi que era um filme do Christopher Nolan, eu fiquei tipo: “Uau! Isso é enorme!” Como foi quando você teve a primeira conversa, a primeira reunião sobre fazer a audição para estar em um filme dessa grandeza?

HS: Eu acho que, a primeira vez que eu ouvi sobre – eu sou uma grande fã dele – então eu estava empolgado para assistir quando eu soube que ele faria esse filme. Então eu sabia que seria bom. E aí eu realmente queria estar envolvido. Aí eu fiz uma fita e mandei.

NG: Você filmou sozinho na sua casa?

HS: Não, eu fiz com o diretor de elenco nos Estados Unidos e dai eu voei de volta para as audições em Londres, o que é muito estranho.

NG: É? Como foi a audição? Por que eu acho que a última vez que você fez um teste você foi muito bem.

HS: Você entra em uma sala  – eu entrei e todos na sala era gente que eu tinha visto em filmes, então eu estava: “Oh, não.” Quer dizer, Fionn estava lá. 

NG: E gente que nem conseguiu o papel.

HS: É, eu acho que sim.

NG: Mas não vamos falar disso.

HS: Mas foi tão estanho, por que você faz e daí vai para casa e fica obcecado com se você foi bem ou não. Então é uma coisa muito estranha.

NG: Você obviamente está interpretando em soldado em Dunkirk, então quando você vai fazer um teste você não pode aparecer com aquelas botas prateadas do Harry Styles. Então você tem que ir vestido como um homem dos tempos antigos?

HS: É, eu fui de prepósito usando um gorro e um moletom. 

NG: Esse sou eu como um ator.

HS: Eu deveria tentar deixar essa tela em branco, pelo menos um pouco.

NG: Sim, sim. Tipo, eu sou um cara normal. Me escolham. E aí, quando você recebe a ligação, Christopher Nolan simplesmente te ligou e disse que você estava no filme?

HS: Não, então eu estava em uma sessão para escrever na hora e eu não podia contar para ninguém que eu tinha conseguido. Então o meu agente e meu empresário me ligaram e eu meio que gritei com eles no telefone e daí eu voltei para a sala e todos estavam: “Você…está bem?” E eu estava tipo, “Sim, meu amigo conseguiu um emprego e é muito bom…então…” E eles ficaram: “Ok…” Legal….

NG: Muito empolgado, gritando: “Ai meu Deus, parabéns!” E então, como foi o primeiro dia no set? Por que eu imagino que seja muito pressão entrar nisso. Eu achei muito bom. Eu vi ontem, aliás. Eu achei incrível. Nós vamos falar do filme em um segundo mas, é enorme não é? Então no primeiro dia, foi difícil? Foi assustador? Você estava assustado?

HS: Sim, eu acho que chegando no set foi tão esmagador, apenas tentar imaginar algo daquele tamanho e daí quando você realmente vê e é louco. Eu diria que o meu primeiro dia no set foi um dos mais difíceis em relação ao clima. Foi como ser jogado em um poço fundo. 

NG: Estava congelando?

HS: Sim.

NG: Em que época do ano vocês filmaram?

HS: Nós filmamos desde março, ou maio talvez. 

NG: Você consegue ver a cor de pele das pessoas mudando, por causa do frio, quando eles ficam lá fora por muito tempo. Como foi se assistir? Foi estanho ou…

HS: É, eu realmente não gosto. 

NG: Por que não é como se assistir em uma entrevista e pensar: “Oh, esse sou meio que eu.” Mas se assistir interpretando outra pessoa deve ter sido…

HS: É, eu não gosto muito. É meio estranho e me deixa desconfortável, eu acho. 

NG: Não vamos usar isso como uma citação para o filme: “Eu não gosto, é meio estranho.” Mas eu acho que você não pode assistir da maneira que eu assistiria ou alguém que vá ver o filme, você não consegue assistir subjetivamente por que você está envolvido e você estava lá.

HS: Eu acho que você pode, de certa forma. Eu acho que a história é tão maravilhosa e eu sou uma pequena parte de uma história gigante, com tanta gente. É definitivamente mas fácil do que se fosse algo sobre mim, o que não é. Então é mais fácil de assistir e eu amo o filme então atrai você, dessa forma. 

NG: É propriamente imersivo, esse filme. Você vai ver quando assistir, mas não tem uma história por trás. É diretamente ação! No minuto que começo, ao minuto que termina. E eu amei que não tinha nada romantizado. Não tem tipo “eu tenho que voltar para a minha esposa”, as vezes as pessoas deixam os filmes de guerra meio cafona. E ali é apenas ação e eu acho que é um tanto quanto brutal, difícil de assistir. De um jeito maravilhoso.

HS: Sim, eu acho que é muito humano e eu não vejo como um filme típico de guerra por que eles sempre são sobre ser um herói e meio que ficar correndo e salvando o dia mas nesse é o lado emocional da guerra, como afeta todo mundo. E são os cidadãos que estão salvando todo mundo e os soldados estão aceitando que perderam. Então é uma visão muito interessante.

NG: É uma coisa humana, você está certo. Você chorou quando você viu? Por que eu fui ver em um IMAX, um IMAX enorme sozinho. Então foi extremamente intenso, a tela era enorme e eu estava sozinho.

HS: É muito intenso.

NG: Eu não sabia que ia mexer comigo assim. Eu chorei de verdade! Eu chorei duas vezes e no final, era o aspecto humano que me fez chorar, os cidadãos tipo “nós os mandamos para a guerra, agora nós vamos salvá-los” eu estava uma bagunça quando eu sai, eu estava “oh, é tão triste” e tive um sentimento de orgulho e muitos sentimentos estranhos e sentimentos que afirmação da vida. Você chorou quando você assistiu? Você é chorão quando assiste filmes?

HS: Eu sou às vezes. As vezes as coisas mexem comigo. A primeira vez que eu assisti – por que eu não tinha visto nada, eu não sabia como ele (Christopher Nolan) tinha montado a história – então eu estava mais assistindo para ver como a história era, eu senti que eu assisti só como filme. Daí eu assisti na premier, em Londres e mexeu comigo algumas vezes. Algumas partes mais emocionais, onde eu fiquei “eu não sei se eu posso chorar em um filme eu que eu estou”. Mas sim, é realmente emocionante. Eu acho que o lance é, sentar em um cinema cheio de pessoas você ainda sente que está assistindo sozinho.

NG: Por que é pessoal.

HS: É uma experiência tão pessoal, você se sente cercado por isso e não se sente como se estivesse assistindo na tela mas parece que você está lá.

NG: Você está lá. É estressante de assistir! Tem gente sufocando e se afogando, é um filme legitimamente intenso.

HS: Eu acho que é como uma experiência de realidade virtual, em um filme maravilhoso. É louco, você sente que você está correndo com eles e nadando. 

NG: Você está na ação!

HS: Você está passando por tudo que eles estão passando, o que torna tudo muito intenso.

NG: Eu acho que é por que não sai dali, é o que torna tão bom.

HS: Sim e quando o Chris estava apresentando o filme, ele estava meio que dizendo “eu diria para aproveitar o filme…” mas não é isso, ele quer que você tenha essa experiência e eu acho que quando as pessoas saem e superam o “nossa, foi muito coisa” inicial, eu acho que te afeta. Essas coisas são importantes, alguns dos meus filmes favoritos não são apenas coisas que eu curti, são coisas que tocam você. Eu acho que é uma história muito importante e um filme maravilhoso. 

NG: Eu acho que é um jeito maravilhoso de fazer você pensar depois, por muito tempo.

HS: Você fica meio conectado. Eu assisti a segunda vez e fui jantar depois e você se sente meio que no limite depois. Eu acho que coisas desse tipo são incríveis, você poder fazer isso com um filme.

NG: Quando eu sai e entre no táxi, o motorista estava sendo muito simpático comigo e eu fiquei “muito obrigado, meu irmão humano, muito obrigado, obrigado.” Eu acho que da maneira que você não poderia dizer que você chorou em um filme que você estava, seria como…se você estivesse em uma comédia, você poderia ir para a sua premier e rir de si mesmo – HAHAHA, eu sou hilário! – Você não poderia fazer isso. Mas você ama uma comédia romântica, não é?

HS: Eu amo. 

NG: Você faria uma comédia romântica?

HS: Eu não sei. 

NG: Isso foi um não?

HS: Eu gosto delas (comédias românticas)

NG: Você realmente gosta. Qual a sua favorita?

HS: Eu acho que Harry e Sally – Feitos Um Para o Outro (When Harry met Sally). O clássico.

NG: O clássico! Está ganhando um ganho de confirmação da Fifi ali. Você gostou da manchete “Quando Harry conheceu o Harry (When Harry met Harry)” quando você conheceu o príncipe Harry?

HS: Eu não vi. 

NG: Foi muito legal. Nós já tínhamos previsto aqui no programa.

HS: Ok isso é legal.

NG: Eu estava pensando, você já viu algum filme que não seja uma comédia romântica?

HS: Sim.

NG: Sim? Ok. Eu só estava conferido, por que eu tenho uma lista dos seus favoritos.

HS: Eu achei que isso (Dunkirk) era uma comédia romântica, ai eu cheguei no set e fiquei tipo: “Então, cadê a comédia e cadê o romance?”

NG: Onde está a Reese Witherspoon? Mas, você é um grande fã de O Diário de Uma Paixão (The Notebook).

HS: Sim.

NG: Quantas vezes você assistiu? Seja sincero, este é um programa de rádio sério.

HS: Eu diria que, eu não sei, pelo menos 30. Talvez mais.

NG: Uma Linda Mulher (Pretty Woman)?

HS: É um daqueles filmes que se está passando, você assiste.

NG: Você assiste. Eu não sei se eu gosto de O Diário De Uma Paixão.

HS: Uma Linda Mulher é subestimado, eu acho que é incrível. 

NG: Uma Linda Mulher não é subestimado, é maravilhoso!

HS: Eu estava na casa da minha mão uma semana atras e eu assisti, eu assisti 4 vezes em uma semana por que estava passando nos canais constantemente.

NG: Você pode assistir agora mesmo, está passando.

HS: E eu fiquei tipo: “eu curti ontem, então vamos ver de novo!”

NG: Eu sou torturado pelos meus amigos e pela Fifi por assistir Missão Madrinha de Casamento (Bridesmaids) o tempo todo, por que se eu gosto eu não quero correr o risco de assistir tipo, o novo Homem Aranha (Spiderman), eu posso não gostar então vamos assistir Missão Madrinha de Casamento de novo.

HS: Eu fico muito agitado, então eu gosto de assistir coisas onde eu sei o que acontece no final.

NG: Eu também.

HS: Eu fico tipo: “Eu estou seguro aqui, eu sei o que está acontecendo. Eu não quero ficar traumatizado emocionalmente, eu conheço a história. Eu estou seguro!” Meu espaço seguro. Eu vou assistir o mesmo filme.

NG: Eu gosto que você assiste um filme bem seguro e fácil, mas o seu primeiro filme é Dunkirk por Christopher Nolan.

HS: Sim.

NG: Você é um lunático fazendo isso. Então como foi quando você teve que aprender as falas e tudo isso? Por que você normalmente só iria e seria você mesmo, falaria de você mesmo. Como foi aprender essas falas? Foi difícil? Você revisou? Como você memorizou?

HS: Eu tive sorte com isso por que não tem muitas falas na coisa toda, então…

NG: Você tem mais (falas) do que eu achei que você teria. Você é falante, não é?

HS: Quando eu li (o roteiro) pela primeira vez, eu fiquei “uh, não sei se você saber tudo isso”. Eu tenho sorte que a minha memória não é tão ruim, eu não achei tão ruim.

NG: Alguma vez você errou e teve que fazer a cena de novo?

HS: Não, mas era o meu maior estresse em cada dia no set. Mesmo se eu soubesse as falas, eu pensava: “eu com certeza vou esquecer as minhas falas”

NG: Tinha algo que colocava mais pressão? Por que era o seu primeiro filme, as pessoas te conhecem ou as pessoas pensavam “melhor acertar, novato”

HS: Eu acho que o Chris quer que tudo seja tão natural, então se algumas coisas mudassem ele não se importava. Por que ele obviamente queria que fosse como se você estivesse falando pela primeira vez. Então se fosse algo que funcionasse melhor, ele não se importava.

NG: Eu acho que é por isso que eu gosto da rádio, por que é um pouco de besteira e é charmoso. É muito Christopher Nolan, não é?

HS: Sim, é.

NG: Tinham muitos figurantes. Tipo, MUITOS figurantes nesse filme.

HS: Sim.

NG: Quantos desses figurantes você acha que se inscreveram só pra ver você ou o  Mark Rylance e tal. Alguém te pediu uma selfie usando roupas dos anos 1940?

HS: Não, eu acho que ninguém fez isso. Foi bom.

NG: Isso é muito respeitoso.

HS: Quando nós estávamos filmando em Dunkirk tinham muitos moradores locais, muitos caras das escolas locais e tudo isso. Nós saíamos e todos estavam vestidos, o que era louco vê-los andar pelas ruas da cidade com o uniforme completo. Nós ficávamos sentados durante o dia e com o passar dos dias eu percebi quanto tempo de espera nós tínhamos então, a cada dia eles começaram a trazer mais e mais lanches. Eles tinham as malas do exército e dai eles tiram tipo, salsichas lá de dentro. E tinha um cara que trazia um canivete suíço e uma salsicha enorme e ficando sentado cortando pedaços de salsicha.

NG: Esse é um lanche típico do exército.

HS: É coisa mais francesa que eu já vi.

NG: Eu imagino que alguém fazia isso.

HS: E aí tinha alguém com um Starbucks ou algo assim. 

NG: Mas o nosso amigo estava fora das marcas, ele comia salsicha com uma faca.

HS: Outras marcas estão disponíveis.

NG: Sim, obrigado. Você tinha um trailer? Por que quando a gente pensa em astros do cinema, imaginamos eles no trailer. Você teve isso com o Christopher Nolan?

HS: Sobre o trailer, a gente ficava na água o dia inteiro. Então nós tínhamos um trailer em que a gente se vestia, mas era isso. A gente se vestia lá, saía e daí a gente se vestia depois. Não era como “eu tenho um monte de coisas no meu trailer”. Mas quando eu terminei, eu ganhei o meu primeiro arranjo comestível.

NG: O que você ganhou?

HS: Sabe aqueles buquês de flores com frutas? Eu ganhei o meu primeiro desses.

NG: Parabéns!

HS: Obrigado.

NG: Parabéns por isso, parabéns!

HS: É muito bom, na verdade.

NG: O que acontece no último dia? O Christopher Nolan diz “Hey, muito bem! Te vejo na premier.” Como é deixar o set? Você estava tipo “Acabou? Está pronto? Eu faço parte?”

HS: Todo mundo foi beber depois e saiu um pouco e então é tão louco, por que você faz e daí todo mundo vai pra casa e no próximo dia está tudo feito. É uma parada abrupta.

NG: Você está lá comendo um arranjo de frutas, assistindo Uma Linda Mulher, eu acho.

HS: Foram 5 meses incríveis, bem intensos e daí…

NG: De volta para a normalidade.

HS: E aí eu dormi por 3 dias.

NG: Tem algo que eu quero fazer com você, nós vamos explicar mais Harry, depois disso.

HS: Ok.

NG: Você talvez tenha notado, que tem uma máquina do seu lado. É um monitor cardíaco. Você pode parecer calmo e legal na superfície. Quanto mais alto for o número, mais você está mostrando os seus sentimentos. Primeiro nós vamos ligar o monitor a você e enquanto isso acontece eu vou colocar uma jaleco branco, para que eu me pareça com um médico.

HS: Ok.

NG: Ele está colocando agora. Ele está vivo, doutor?

Médico: Espere. Espere.

HS: Não tem nada aqui.

NG: Ele é um robô criado por Simon Cowell.

HS: Heeeeey.

NG: Ok, está bom?

Médico: Ele está vivo. O batimento cardíaco está permanente.

NG: Então eu vou te mostrar uma série de imagens e nós vamos ver como você reage a essas imagens, ok? Eu acho que nós temos que começar com o homem que te transformou em um astro de cinema, o Sr. Christopher Nolan. Me fale sobre a sua relação com ele.

HS: Eu estava impressionado com ele o tempo todo no set.

NG: Então não estava assustado?

HS: Um pouco assustado.

NG: Ele é um pouco assustador. Então o ritmo cardíaco está calmo, eu acredito em você. Próximo, nós vamos do Christopher Nolan para os tênis roxos que você costumava usar, como isso te faz sentir? O ritmo cardíaco está aumentando.

HS: É, eles eram bem ruins. Mas eram confortáveis. Por um tempo.

NG: Quando você decidiu jogá-los fora? Os batimentos cardíacos estão aumentando. Você sente falta deles? Você está se sentindo chateado?

HS: Não, eu não sinto falta deles. 

NG: Eu acho que você devia traze-los de volta para a sua tour solo.

HS: Eu estou pensando nisso, é.

NG: Eu acho que seria legal. Próximo, como esta imagem te faz sentir? É o Ryan Gosling, de O Diário de Uma Paixão.

HS: Ele está muito lindo. É uma cena boa.

NG: Cena maravilhosa. O batimento está aumentando para 80.

HS: Ele é ótimo. 

NG: 80.

HS: Não, não está! 

NG: Ok, próximo. Nós vemos ver alguém, uma pessoa, uma pessoa humana, alguém com quem você passou muito tempo. Alguém que se separou, como Zayn Malik faz você se sentir? Aqui com uma jaqueta de couro, mas sem camisa.

HS: Sim, é uma boa combinação. 

NG: Seria muito suado para mim.

HS: Pessoalmente, para mim seria muito suado. 

NG: Eu ouvi que todos os garotos entraram em contato com você, para o filme e isso é legal.

HS: Sim. 

NG: Eu ouvi isso nas notícias aqui da rádio 1, o coração está estável em 67. Estamos vendo um padrão aqui, se você os conhece, se você confia neles, fica no mesmo nível. Como dinheiro faz você se sentir?

HS: Hum… (Barulho da máquina)

NG: Tem muito na conta bancária dele! O coração parou! E daí o alarme dispara quando ele vê uma maleta de dinheiro. Na próxima vamos para a atriz e modelo, Camille Role. Como você se sente sobre ela?

HS: Eu não, eu não conheço ela.

NG: Você não conhece ela?

HS: Não. Tenho certeza que ela é maravilhosa.

NG: Ela é bonita.

HS: Eu tenho certeza que ela é uma pessoa maravilhosa.

NG: Batimento cardíaco mais baixo do que com o tênis roxo horrível. Agora uma foto da sua preferida: Uma chelsea boot! (Tipo de bota). Por que você está balançando a cabeça?

HS: Eu…você é demais. 

NG: O que???

HS: Uma chelsea boot…

NG: Uma chelsea boot! O batimento está aumentando! O batimento está o mais alto até agora! O batimento vai chegar em 80! 81!!! Você diria que esse é o maior amor da sua vida, uma chelsea boot?

HS: Provavelmente.

NG: O batimento está em 85. 92! 100!! 100!!!! Você pode levar essa (imagem) para casa com você.

HS: Eu odeio você. Todos vocês! 

NG: O que?

HS: Vocês são idiotas! Vocês dois são idiotas. (Apontando para Lou Teasdale e Harry Lambert)

NG: De quem você está falando?

HS: Lou e Harry!

NG: Bom, eles estavam lá, são nossos amigos em comum, eu pedi algumas dicas e funcionou.

Tradução por Daniele Amaral.
18.07
notícia postada por Cynthia Duarte

Desde a última sexta, dia 07 de julho, Harry e alguns atores do elenco de “Dunkirk” estão participando de uma maratona de entrevistas, a fim de promover o filme que será lançado no dia 27 de julho, no Brasil.

Além dessas e dessas, algumas outras entrevistas já foram disponibilizadas e nossa equipe também traduziu todas elas para vocês!

Lembrando que é possível haver mais entrevistas ainda não publicadas, que também serão traduzidas assim que forem disponibilizadas!

Confira as entrevistas traduzidas:

Dunkirk: Harry Styles e Fionn Whitehead tentam atuar metodicamente comendo carne enlatada

Melissa Nathoo: Garotos, eu vi este filme ás 7 da manhã em uma terça-feira e eu acho que eu não estava totalmente preparada para o que me aguardava. Vocês tiveram dias assim, em que vocês apareciam no set e vocês simplesmente não estavam preparados para o que estava vindo?

Fionn Whitehead: Sim.

Harry Styles: Eles ficam mostrando (o filme) para as pessoas ás 7 da manhã, eu acho que é para realmente tocá-los.

FW: Eles estão tentando assustar a imprensa, eu acho.

MN: Realmente assustou.

FW: Não tome café antes de ver, é o que eu diria para alguém que vai assistir por que a primeira vez que a vi a prévia estava com um galão de café e eu estava meio….

MN: Com tremedeira.

FW: Sim, palpitações e tudo.

HS: No set? Hum…Eu não sei…

FW: Teve um dia que eu sai e a praia estava preparada por pelo menos um quilometro e tinham uns 1500 figurantes vestidos com os uniformes de soldado, fogo sendo “cuspido”, navios de guerra no fundo e esse foi um momento no set em que eu pensei: “eu não pensei nisso quando imaginei filmar um filme, isso é o mais perto da realidade que você pode chegar em um set de filme.”

MN: E vocês – estreantes no filme – vocês tem…

HS: Nós estamos frescos.

MN: Vocês tem Tom Hardy, Cillian Murphy, Mark Rylance, a sua mente não está tipo: Boom! Para o seu primeiro filme? Isso é loucura!

FW: Com essas pessoas, com certeza. Eu acho que o conjunto de pessoas envolvidos em fazer esse filme é incrível, o que eles fazem…Você não vai ver Christopher Nolan contratar alguém que ele não acha que é certo para o trabalho e isso vai de – mesmo que as pessoas assistindo o filme não pense nisso – quem faz os efeitos, até os atores. Todo mundo foi maravilhoso e eu aprendi muito com todos. Estar tão perto do elenco, era difícil não absorver o seu…eu não sei, talento. Eles são maravilhoso.

MN: E os estreantes?

HS: Eu acho que sempre que você tem a oportunidade de estar perto de pessoas de quem você é fã e apaixonado pelos que eles fazem, parece um privilégio. Estar perto de pessoas assim, como o Fionn disse, o elenco, a equipe e o Chris. Você tenta absorver o que você pode e usar como uma experiência de aprendizado.

MN: E o elenco, vocês tem um grupo no WhatsApp para manter o contato?

HS: Eu não tenho WhatsApp.

FW: Ele não tem WhatsApp. Sim, eu converso com alguns dos outros garotos no WhatsApp. Eu soei como um velho, não foi? “Eu falo com alguns dos outros garotos no WhatsApp”?

MN: O WhatsApp é um hit entre os mais novos, não sei por que o Harry não tem.

HS: Eu acho que não ter o WhatsApp é mais coisa de velho do que ter um grupo.

FW: Mas você é tão velho fazendo isso que soa retrô e e legal.

HS: Oh, como se eu estivesse trazendo de volta? 

FW: É, trazer de volta a moda não gostar (do WhatsApp)

HS: Oh, legal. Eu vou usar isso. Vou começar a andar com pombos.

MN: Uma das coisas que o personagem do Mark Rylance diz para um dos soldados – o personagem do Cillian Murphy – é que ele mudou, que nunca mais será o mesmo. Vocês acham que trabalhar nesse filme mudou vocês de alguma forma?

FW: Não como mudou os soldados.

MN: Quer dizer, eu espero que não. Eu espero que não tenha traumatizado vocês.

FW: Você aprende algo com cada trabalho, eu acho.

HS: Sim, eu acho que seria difícil sair de um filme como esse, sendo sobre o que ele é  e ter essa experiência e não levar um pedaço disso com você. Mas obviamente, não na medida de como foi (a guerra) mas se você está aprendendo coisas novas, você obviamente está ganhando experiência o tempo todo e é, eu acho que definitivamente – eu pessoalmente, você levar muito desse filme. 

MN: Qual foi uma coisa que vocês aprenderam sobre o outro que vocês não sabiam antes de trabalharem juntos?

HS: Ele nunca tinha comido carne enlatada com picles.

FW: Verdade.

HS: Eu fiquei absolutamente perplexo com isso.

FW: Não pode ser, eu acho que eu comi mas…quer dizer, nós comíamos carne enlatado no sanduíche na minha infância mas…

HS: Eu fiquei tão surpreso.

FW: É mais pela maneira que você come, simplesmente…como é. Não tem pão nem nada.

HS: É a Segunda Guerra Mundial!

MN: É isso que você come?

HS: Não, eu tinha…latas.

FW: Eu acho que ele tentou atuar metodicamente com isso.

HS: Mas eu não fui um ator metódico muito bom. Eu acho que eu fui com 20 latas e voltei para casa com 23 latas de alguma forma, eu adquiri algumas latas extras ao longo do caminho. Até eu perceber que tinha serviço de quarto, eu comi isso.

MN: Você não aprendeu nada sobre o Harry?

HS: Ele gosta de carne enlatada.

FW: Ele gosta de carne enlatada e picles.

MN: Eu aprendi algo também hoje.

HS: Veja só! Todo dia é dia de escola.

MN: Então, Harry gosta de carne enlatada e você nunca tinha comido antes.

FW: Eu acho que já comi só que combinado com algo, não só…sozinho.

MN: Foi uma experiência maravilhosa, garotos!

HS: Muito obrigado. 

MN: Prazer em conhece-los.

FW: Muito obrigado!

Harry Styles e elenco para Kinowetter

Entrevistadora: Vamos começar falando de Dunkirk e o que vocês descobriram sobre os fatos históricos participando desse filme. Vamos começar com você Harry e ai…

Harry Styles: Hum, eu acho que quando você aprende sobre Dunkirk na escola, não é o nosso melhor momento na guerra então eu acho que quando você aprende sobre isso é com frequência ignorado. É contado como algo rápido, quase como um conto de fadas, um pouco. Eu acho que através da filmagem foi bom para nós podermos nos aprofundar mais, em termos do aspecto humano do que foi e obviamente, perceber que cada pedacinho de caos estava acontecendo para tantas pessoas diferentes, que eram obviamente indivíduos. Então eu acho que ver mais como histórias humanas, ao invés de uma estatística das pessoas que foram para casa foi muito interessante para mim, pessoalmente. 

Entrevistadora: É disso que vocês tem mais orgulho – termos do filme, obviamente – foi um esforço para filmar mas, tanto foi contado da perspectiva humana, é algo que as pessoas podem se reconhecer?

Fionn Whitehead: Sim, com certeza. Eu acho que é algo muito importante de se fazer com um filme como esse, é algo que o Chris realmente queria fazer. Tirar a visão política que existe em muitos filmes sobre guerra e ser mais pessoal, íntimo com a desenvoltura, a tragédia e tudo que está naturalmente nessa história. Ele realmente queria explorar isso em um nível humano e pessoal.

Entrevistadora: Há alguma habilidade que foi pedida? Obviamente para você foi algo um pouco mais….alto, no ar?

Jack Lowden: Eu já sabia fazer aquilo.

Entrevistadora: Ah, você sabia?

JL: Sim. Foi a parte de atuar…não. Não. Foi um privilégio poder aprender sobre isso e muito divertido passar meu tempo antes de filmar, aprendendo sobre isso. É sempre divertido.

Entrevistadora: Harry este sendo um novo departamento para você, você está mais nervoso por algo em particular ou empolgado por tentar algo novo?

HS: Eu acho que eu estava bem empolgado por estar tentando algo novo, acho que qualquer momento em que você pode deixar a sua zona de conforto é uma coisa boa e obviamente poder trabalhar com um elenco e equipe tão maravilhosos e com o Chris -é um privilégio pode trabalhar com alguém tão apaixonado pelo que ele faz -, então eu acho que você tem que absorver o quanto disso for possível e usar como uma experiência de aprendizado maravilhosa. 

(….)

Entrevistadora: Do que você tem mais orgulho, em ter conseguido esse papel e ser parte disso?

HS: Eu acho que é uma parte tão importante da história, obviamente e é ignorado como nós dissemos antes. Poder ser parte de uma história assim que é contada por um diretor dessa forma, eu acho que nós todos estamos bem orgulhosos apenas por estar envolvidos em um projeto tão maravilhoso. Antes mesmo de começarmos a filmar, eu já estava bem empolgado para assistir então, eu acho que toda vez que você tem a oportunidade de ser parte de algo que está contando algo que é muito mais importante do que, os seus sentimentos pessoais – é mais do que só fazer a sua parte, em relação ao foco principal. Isso não fez sentido, mas é eu estou muito orgulhoso.

FW: Eu entendi o que você quis dizer.

(…)

Entrevistadora: E por último, vocês estão empolgados para os seus amigos e família verem?

JL: Sim.

FW: Com certeza.

HS: Sim. Eu acho que o filme é muito bom. Eu acho que todos nós estamos muito orgulhosos de fazer parte de algo que nós gostamos e achamos que é algo incrível. Então sim, eu acho que as pessoas vão gostar. 

 Harry Styles e Fionn Whitehead para TORYmax

Entrevistador: Harry, Fionn, é maravilhoso ver vocês!

Harry Styles: Bom dia!

Fionn Whitehead: Como vai?

Entrevistador: Eu só quero que vocês reflitam por um segundo sobre o lugar em que nós estamos sentados e a aeronave atrás de nós, por que estar perto de um desses é quase…eu estou exagerando quando digo que estar perto de um desses, é um tanto emocionante, não é? Eu me sinto assim.

HS: Sim, eu acho que sim. Eu acho que tem tanta história em todas essas coisas. Eu acho que esse foi o sentimento quando nós estávamos filmando e poder fazê-lo na praia em Dunkirk teve muito…apenas pareceu muito especial, o que nós estávamos fazendo. Eu acho que todo mundo estava ciente da história sob os nossos pés, foi uma experiência muito sóbria, em geral.

Entrevistador: E para você, Fionn?

FW: Com certeza. Eu acho que a primeira vez que todo mundo ouviu um desses voando sobre as nossas cabeças foi o som mais reconhecível do mundo. Todo mundo estava encantando, eu acho. Todo mundo parou de filmar por um minuto e olhou com os próprios olhos. Era difícil fazer uma cena por que toda vez que as aeronaves estavam em cena todo mundo ficava admirando.

Entrevistador: E quanto disse foi um aprendizado para vocês, aprender sobre Dunkirk e eles tentando recriar aquilo. Quanto disse foi um aprendizado para vocês?

HS: Eu acho quando você aprende sobre Dunkirk na escola é tão cedo na guerra e obviamente não é considerado o nosso melhor momento na guerra, então eu acho que é sempre contado como um conto de fadas. É meio falado de maneira rápida, eles estavam presos e depois foram para casa. E eu acho que através do processo de filmagem foi incrível ver cada soldado como humano, ao invés de um número grande de pessoas indo para casa. Então eu acho que foi legal aprender isso de uma maneira mais humana, ao invés de uma maneira estatística.

Entrevistador: Houveram momentos em que vocês tiveram que se beliscar – com  Kenneth Branagh, Mark Rylance, Tom Hardy – Houveram momentos que – eu sei que vocês dirão que todos estavam submersos nisso e este era o clima – mas tiveram momentos em que você está pensando “ok, eu estou aqui.”?

FW: Sim, sim. Eu acho que apesar do fato dele (Nolan) criar estes estado de igualdade, eu ainda estava em choque quando eu conheci algumas dessas pessoas. São pessoas que eu admirei por tanto tempo e também apenas a escala do set é algo louco! A primeira vez que eu vi aeronaves voando, navios de guerra na parte de trás, no mar e quilômetros da praia que foram preparados e de 1300 a 1500 figurantes. É uma coisa louca! Eu acho que qualquer um, seja você um ator ou uma pessoa normal, presenciar algo assim é incrível. É uma grande vista! Eu acho que você aprende a se adaptar quando está filmando. Você começa a absorver como algo normal e há uma reflexão quando você assiste o filme, você lembra e pensa: Aquilo foi louco, foi uma loucura.

Entrevistador: E Harry, você teve muita experiência em um mundo diferente, no mundo da música. E você teve que lidar com toda a atenção que o Fionn provavelmente está se acostumando agora. Parece algo que mudou você totalmente? Ou pareceu uma evolução natural?

HS: Quer dizer, obviamente a parte prática disso foi tão incrível e eu acho que como na outra pergunta, toda vez que você tem a oportunidade de trabalhar com alguém de quem você é fã de qualquer forma é um grande privilégio, estar perto dessas pessoas e poder observá-los trabalhar. Você quer absorver o máximo possível. Em termos da mudança da música para a atuação eu não sei, elas parecem tão diferentes para mim. Eu sempre me senti incrivelmente sortudo por poder trabalhar com música e fazer algo que eu amo. Eu curti muito isso e eu me sinto muito agradecido em poder fazer duas coisas que eu gosto tanto. 

Entrevistador: Uma última coisa que eu quero perguntar: Eu vi o filme, é bem tocante as cenas com os navios. Eu não sei como elas foram filmadas mas claramente, vocês estão debaixo d’água algumas vezes e elas parecem bem difíceis, bem complicadas e bem exigentes. Vocês podem nos contar sobre elas por favor.

HS: Sim, algumas daquelas coisas foram as mais divertidas de filmar para mim. Foi tão interessante meio que ver a forma como o set estava e ter algo tão grande meio que afundando. E apenas trabalhar em um set que está completamente submerso na água. E meio que, a equipe toda e as câmeras, todos subindo entre as tomadas para tomar ar e voltar eu acho você não tem a oportunidade de trabalhar assim todos os dias.

Entrevistador: Fionn, Harry muito obrigado.

HS: Muito obrigado.

FW: Muito obrigado.

 Harry Styles e Fionn Whitehead para heat, heatworld & heat Radio

Lucy Lord: Como vocês estão?

Fionn Whitead: Bem, é.

Harry Styles: Que casaco maravilhoso. Desculpa, eu estava…

LL: Obrigada. É de “Legalmente Loira.” Eu sou uma grande fã.

FW: Eu não assisti.

HS: Quem não é?

LL: É o melhor filme.

HS: Sim! Quer dizer…o segundo.

LL: Parabéns por Dunkirk.

HS: Obrigado.

LL: Eu notei que vocês tiveram a maior parte do seu tempo no filme juntos e vocês fizeram as entrevistas juntos também, então vocês devem se conhecer bem agora. É certo dizer isso?

FW: Eu acho que eu poderia ser o Harry. Eu acho…eu posso fazer todas as suas piadas por você.

HS: Assuma daqui. Sem problemas. (Levanta da cadeira e sai)

FW: Nós nos conhecemos moderadamente bem, eu acho.

HS: Sim, eu acho que sim. A maior parte do nosso tempo no set foi juntos e nós fizemos os testes juntos, então foi um círculo completo. Eu e o Fionn estamos (faz um sinal com as mãos) ligados.

LL: Legal, já que você se conhecem tão bem quem é o pior de manhã?

HS: Eu diria que o Fionn é pior do que eu.

FW: Eu sou bem péssimo de manhã. Eu não gosto das manhãs.

LL: Você fica quieto ou você fica mau humorado?

FW: Cansado. É, eu só fico cansado de manhã. É cansativo levantar, não é?

LL: É sim.

HS: Eu não sou tão ruim, então eu vou assumir essa eu acho.

FW: Você é louco de manhã, cara. Você é tão energético, eu não consigo acompanhar.

HS: É motivacional!

LL: Quem é mais provável de ficar com fome?

FW: Eu fico com bastante fome.

LL: Você está parecendo um sonho!

FW: Harry é um anjo!

HS: Eu acordo cedo, eu sou fácil de se ter por perto. E ele é tipo, acorda bravo, brigando com as pessoas por que o café dele não está no set.

FW: Esse sou eu.

LL: Ele se tornou uma diva.

FW: Completamente.

LL: O que você acha que é algo garantido em fazer o outro rir?

FW: Essa é difícil. Eu não vi você rir muito. Tipo, você ri – eu te vi rindo – mas eu não consigo lembrar o que fez você rir. Não é frequente ser de algo que eu disse, eu acho que eu não sou uma pessoa muito engraçada.

HS: Isso não é verdade, não se menospreze assim. Você ri das pessoas serem estranhas. 

FW: Tudo bem. Sim, é engraçado não é?

HS: Tipo se alguém é meio estranho, ele meio que ri.

FW: É engraçado não é? Quando alguém está sendo meio bobo.

HS: Enfim…

LL: Então. Esse é meio que um cenário – Imaginem que vocês estão em uma noite de filmes, o que vocês acham que o outro escolheria para assistir?

HS: Qual é a situação? Eu vou precisar de contexto.

LL: Tipo, com coisas para comer, aconchegante…

FW: Certo.

HS: Com que nós estamos assistindo (o filme)?

LL: Nós três.

HS: Oh, nós três.

FW: É uma situação muito estranha de imaginar. Já estou imaginando estar com um cobertor e ver o filme…

HS: Eu escolheria “Amor Á Queima Roupa”. Eu acho que esse é bom para um grupo de 3 pessoas. 

FW: Um grupo de 3….

HS: Não é muito longo…

FW: Eu assisti “Os Bons Companheiros” pela primeira vez no avião esses dias.

HS: Esse é o meu filme preferido.

FW: É um filme maravilhoso. Então por que não este?

HS: Na verdade, segundo. Terceiro! (Se referindo ao filme favorito). Quem não gosta de um pouco de Reese (Whiterspoon)?

LL: Eu não consigo escolher um vencedor.

FW: Esse é o objetivo do jogo! Se não tem regras então…

HS: Não tem vencedores. Filmes são os vencedores. A arte dos filmes é o vencedor.

LL: A arte do cinema.

HS: Exatamente. 

LL: Você diria que você tem um objetivo para atingir? E você se atingiu?

FW: Nós somos todos muitos sortudos, comparados aos soldados que estavam na praia, com aquelas pessoas naquela situação, nós não estamos lutando pelas nossas vidas nem nada assim. Então eu diria que o meu objetivo no momento é só continuar atuando tentar ser feliz, eu acho, é.

HS: É eu acho que é importante continuar atualizando seus objetivos, eu acho que depende no que você baseia a sua vitória. Eu acho que o meu objetivo é….

FW: O que é vencer para você?

LL: Vencer? Oh, não. O jogo virou. Eu não estou acostumada a ser perguntada.

FW: O que é vencer para você?

LL: Ser feliz.

FW: Ser feliz? Muito bem.

HS: Então baseado em ter amigos, se divertir, isso é mais fácil de obter. 

FW: Então o que você gosta de fazer? O que você quer fazer como profissão? Você quer fazer isso, ser uma jornalista?

LL: Sim.

FW: Legal.

HS: Então você está vencendo. 

FW: Você está vencendo.

LL: Obrigada, foi muito bom.

HS: O seu casaco é muito bom. 

LL: Obrigada!

HS: De nada. 

LL: Muito obrigada e parabéns por Dunkirk.

HS: Muito obrigado!

Tradução por Daniele Amaral.
11.07
notícia postada por Cynthia Duarte

No dia 03 de julho, Paul Grein publicou em sua coluna “Rumor Mill”, do Hits Daily Double, suas suposições sobre as possíveis nomeações ao Grammy de 2018.

Como dito pela Billboard, Harry tem grandes chances de concorrer na categoria Canção do Ano. O palpite de Paul, entretanto, vai um pouco além.

Você pode ver a matéria na íntegra e inglês, aqui.

Logo abaixo, confira os trechos traduzidos em que Paul cita Harry e suas possíveis nomeações:

Grein sobre o Grammy e primeiras impressões: Álbum e canção do ano.

Por Paul Grein

Na terceira e última apresentação do nosso “Adivinho de Grammy”, Paul Grein faz suposições sobre as potenciais nomeações para as quatro grandes categorias de 2018, nas quais ele aborda ambos Gravação e Canção do Ano. Enquanto Harry Styles talvez não seja nomeado para melhor álbum, e presumidamente não seja uma opção para “Best New Artist” [melhor novo artista], considerando o superestrelado alcançado como parte de uma banda, sua canção “Sign of the Times“, parece ser uma candidata forte para as honras de “Canção e/ou Gravação”.

GRAVAÇÃO DO ANO: 

Harry Styles é também uma grande certeza com “Sign of the Times“, um dos melhores singles do ano e um grande passo adiante para essa jovem estrela. Grammy Trivia: Essa será a primeira vez que um single de um primeiro álbum solo, por um artista que chegou à fama em um grupo ou dupla, foi nomeado desde “Hollaback Girl”, de Gwen Stefani, há 12 anos atrás.

CANÇÃO DO ANO:

Harry Styles provavelmente será nomeado por “Sign of the Times”. Dentre seus coautorres, está Jeff Bhasker, que recebeu três nomeações consecutivas nessa categoria de 2011 a 2013 por co-escrever “All of the Lights”, de Kanye West, “We Are Young”, do fun., e “Just Give Me a Reason”, da P!nk.

Vamos torcer, né?!

 

10.07
notícia postada por Cynthia Duarte

Desde a última sexta, dia 07 de julho, Harry e alguns atores do elenco de “Dunkirk“, incluindo o querido Chris Nolan, estão participando de uma maratona de entrevistas, a fim de promover o filme que será lançado no dia 27 de julho, no Brasil.

Além dessas, algumas outras entrevistas já foram disponibilizadas e nossa equipe também traduziu todas elas para vocês!

Inclusive, Harry e Fionn concederam uma entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, que foi transmitida ontem no programa, com tradução simultânea. Não viu? Está aqui:

Lembrando que é possível haver mais entrevistas ainda não publicadas, que também serão traduzidas assim que forem disponibilizadas!

Confira as entrevistas traduzidas:

Harry Styles e Fionn Whitehead para Access Hollywood

Parte 01:

Entrevistadora: Nós temos que perguntar sobre o seu cabelo, por que foi meio que uma coisa quando você cortou, você cortou para o filme, certo?

Harry Styles: Eu cortei. 

Entrevistadora: E como foi? Como você se sentiu quando te contaram que você teria que cortar o seu cabelo?

HS: Bom, quando eu fiz o teste para um filme que se passa na Segunda Guerra Mundial eu imaginei que eu provavelmente teria que dar uma cortada. Então eu estava preparado e eu não pensei muito nisso, na verdade já estava meio que óbvio. Eu estava tão empolgado de estar envolvido em um filme que eu não pensei muito sobre isso.

Entrevistadora: Harry, você é meio que novo em atuar, o que te deu a vontade de atuar? O que te fez fazer isso?

HS: Eu acho que, eu estava tão empolgado com esse filme, é sobre algo que eu estaria muito empolgado para assistir mesmo se eu não estivesse envolvido e eu sou um grande fã dos filmes do Chris e com tudo isso eu meio que senti… (Se distrai com um barulho de avião)

Fionn Whitehead: Ele está tendo flashbacks.

HS: Eu queria estar envolvido nisso, então…é.

Entrevistadora: Agora você acha que você vai ler mais roteiros? Você vai atuar mais? Eu sei que você tem uma grande turnê chegando.

HS: Sim, eu acho que…eu não sei. Eu meio que, isso foi algo que aconteceu e eu não pensei muito na frente. Então eu ainda não sei. Eu amei fazer esse filme.

Entrevistadora: Então você passam por muita coisa nesse filme, com estar na água – que eu tenho certeza que estava congelando – e o óleo e todas essas coisas, vocês tiveram que fazer alguma coisa para se preparar?

FW: Sim, eu fui para Dunkirk duas semanas mais cedo e eu treinei com os dublês por duas semanas.

HS: Diga 2 meses.

FW: É, eu deveria ter dito 2 meses.

HS: 2 semanas é muito pouco.

FW: Foram 2 anos. 2 anos, sim….Não. Eles me fizeram passar o básico basicamente, assim que eu levantava eles me faziam treinar circuitos, treinar com armas, boxe, nadar no oceano com a roupa de batalha o que não é algo fácil de se fazer. Parcialmente por que todo o peso vai para baixo e também – não sei se você achou isso – mas por causa do jeito que as botas são feitas e quão rígidas elas são, você não pode bater os seus pés na água então você tem que mexer os seus pés assim (demonstra com as mãos) ao invés de assim (fazendo o movimento com as mãos) que é a forma natural de bater o pé. Então você só fica lá parecendo ridículo, sem ir a lugar algum. Então é, eu fiz 2 semanas de treinamento antes.

Entrevistadora: (Para Harry) Você fez 2 semanas?

HS: Eu não fiz duas semanas. Eu acho que nós fizemos alguma preparação antes do filme.

FW: É, com certeza. E para ser justo com o Harry, eu acho que ele estava em melhor forma do que eu estava.

HS: Eu nado o tempo todo, então eu estava preparado.

FW: Eu estava enferrujado com eu fiz o teste….

HS: Não….

FW: Eu estava. Ainda estou.

HS: Mas olhe para você agora!

Parte 02:

Entrevistadora: E eu acho que o que é tão ótimo é que agora nós estaremos ensinando uma nova geração sobre essa história histórica e acho que nós teremos garotas adolescentes em fila para ver um filme de guerra pela primeira vez, um monte de fãs do Harry Styles e da One Direction. O que você acha disso?

Harry Styles: Eu acho que algo maravilhoso sobre o filme é que não é o seu típico filme de guerra, eu não acho que você tem que ser um conhecedor de história ou alguém que ama filmes de guerra para curtir (o filme). Eu acho que é assustador algumas vezes, é muito emotivo, te deixa empolgado. E é muito intenso de assistir e o fato de acontecer nessa guerra e passar por uma parte tão importante da história é incrível. Eu acho que o Chris sempre fez esses filmes que são tão focados no personagem e você está ligado intimamente como eles e passando por tudo que eles estão passando e eu acho que é uma visão diferente de se fazer um filme de guerra. Mas como eu disse, eu acho que você não tem que amar filmes de guerra para curtir, eu acho que é para todo mundo.

Entrevistadora: Então Fionn você é um estreante nisso, você está pronto para a sua vida mudar?

Fionn Whitehead: O quanto dá para estar. Eu gosto de imaginar que eu estou pronto. Eu acho que eu gosto de imaginar que não vai mudar muita coisa, pra ser honesto.

Entrevistadora: É uma fama instantânea, algo que você sabe sobre (se referindo ao Harry). Você tem alguma conselho para o Fionn?

FW: Eu preciso de conselhos.

HS: O Fionn é maravilhoso. Ele está maravilhoso no filme, ele é um homem maravilhoso. 

FW: Oh, pare!

HS: Eu não acho que isso vá mudar. Então eu acho que ele é ótimo.

FW: Esse é a coisa mais legal que você já disse para mim.

HS: Isso não é verdade.

FW: Realmente me tocou. Foi tão legal.

HS: Bem…

Harry Styles e Fionn Whitehead para KTLA

Entrevistador: O Christopher falou sobre o processo de audições que você passou. Você é bem conhecido, alguém te disse “hey, por que você faria testes?”

Harry Styles: Hum, não, nunca houve esta parte do processo. Foi meio que um projeto sobre o qual eu já havia escutado e parecia que ia ser algo maravilhoso e eu senti que mesmo que fosse algo em que eu não estivesse envolvido seria algo que eu iria querer ver como um fã. E não, eu não acho que isso foi uma questão.

Entrevistador: E você, eu não sei, duvidou…talvez não seja a palavra certa – você pensou: Será que eu sou ou não sou capaz de fazer isso?

HS: Claro, sim, eu acho que toda vez que você está fazendo algo novo, você se sente vulnerável mas eu nunca senti que era sobre mim, em nenhum parte. E eu me sinto muito sortudo em ter sido uma parte deste projeto e trabalhar com esses atores. Eu e o Fionn fizemos os testes juntos.

FW: Eu acho que você estava em boa companhia. Haviam uns novatos no set.

Entrevistador: Um novato como o Harry, isso era um risco na sua cabeça? Ou não?

Christopher Nolan: Parte do meu trabalho é ver o que alguém pode fazer e vendo as audições – várias audições – que o Harry fez para nós, eu vi o potencial que tinha e como ele pode levar o personagem e o que eu procuro em um ator é alguém que possa dar vida ao que eu fiz no roteiro mas também adicionar algo a isso, trazer algo fresco, algo novo. Eu acho que o que o Harry faz no filme é sútil e é verdadeiro e isso é o máximo que você pode pedir de um ator. 

Christopher Nolan compara escalar Harry em Dunkirk com Heath Ledger, o Coringa

“Como um diretor, eu tenho que confiar nos meus instintos, na minha habilidade de saber quem é o cara certo para o papel. Eu não fico muito preocupado com a bagagem (que o Harry trazia, a fama). Eu era novo para o Harry. Quero dizer, meus filhos me falaram dele, mas eu não era muito familiarizado com ele. O que eu estava vendo [quando ele fez a audição], era um rapaz muito carismático que claramente tinha uma veracidade e uma sutileza em sua habilidade de atuar. Quando eu escalei o Heath Ledger como o Coringa [em Batman: O Cavaleiro das Trevas], muitas pessoas se surpreenderam e comentaram. Eu tenho que confiar nos meus instintos, e Harry era perfeito para o papel”. – Christopher Nolan sobre escalar o Harry.

“O que eu espero, quando as pessoas verem o filme, é que eles não deixem de perceber o que ele fez, porque é muito sutil, muito verdadeiro e real. Eu não estava dando a ele algo rápido de se fazer. Mas o que ele faz, em termos do que ele diz sobre a natureza humana e o que as pessoas fazem em diferentes situações é muito importante, e eu acho que ele demonstrou isso com uma incrível graça e veracidade. E como um diretor, é isso que você procura”. – Nolan sobre Harry.

Nolan ainda disse que Styles não deixou que sua fama fora do set de filmagens afetasse seu ego. “Harry estava muito comprometido e determinado a ser apenas um dos caras ali, vindo [para o set] e aprendendo tudo o que podia com as pessoas mais experientes que estavam ao seu redor, se deixando levar pelo seu papel. Eu acho que ele fez um trabalho incrível no filme e eu estou muito animado para que as pessoas vejam”.

O filme é maravilhoso e eu acho que conta uma história muito importante. Eu acho que há muitos atores incríveis trabalhando nele e eu sento que nós estávamos todos trabalhando para um mesmo fim. Eu não acho que as filmagens permitiram que eu pensasse muito sobre o que exatamente eu estava fazendo. Eu acho que o filme é incrível e eu me sinto muito sortudo de poder ser uma parte disso, de verdade” – Harry para ET.

Trechos de algumas entrevistas concedidas por Harry

“Alex é um jovem soldado que parece ser bonzinho, mas há também esse abismo nele. Ele acaba agindo de uma forma um pouco mais dura que os outros rapazes. Alex gosta da ideia de ser o cara durão, mas ele também está muito assustado”. – Harry sobre o seu papel como Alex em Dunkirk.

“Eu acho que para os rapazes de uniforme, não importava qual trabalho o cara do lado estava fazendo. Era você e ele, era “Tudo bem, estamos do mesmo lado, então nós vamos ficar juntos. Nós vamos nos ajudar a sair dessa”. Era pura camaradagem. Eles podem até não saber os nomes uns dos outros, mas isso não importa. Ele está no mesmo uniforme que você, então vocês estão no mesmo time. É como uma família”. – Harry sobre os laços entre Tommy, Gibson e Alex.

Tradução por Cynthia DuarteDaniele Amaral.
09.07
notícia postada por Cynthia Duarte

Na última sexta, dia 07 de julho, Harry e alguns atores do elenco de “Dunkirk“, incluindo o querido Chris Nolan, participaram de uma maratona de entrevistas, a fim de promover o filme que será lançado no dia 27 de julho, no Brasil.

Algumas entrevistas já foram disponibilizadas e nossa equipe traduziu todas elas para vocês!

Lembrando que algumas ainda não foram publicadas e também serão traduzidas assim que forem disponibilizadas.

Confira as entrevistas traduzidas:

Harry Styles e Fionn Whitehead entrevistados por Kevin McCarthy

Kevin McCarthy: É culpa do Harry e do Fionn!

Harry Styles: Desculpa!

KM: Eu sou um grande fã do Christopher Nolan, a forma que ele coloca os efeitos especiais nas câmeras, como em “The Dark Knight“, ele girou aquele super caminhão, e todas essas coisas, mas ele colocou vocês debaixo d’água de verdade, nas sequências que isso era necessário, nos conte como foi filmar isso, quanto tempo vocês ficaram debaixo d’água, tinha alguém trazendo oxigênio para vocês, como funciona quando você está filmando uma cena como essa no mundo do cinema?

HS: Nós filmávamos e entre as cenas nós subíamos à superfície, eram tomadas curtas, óbviamente, a ação era tão intensa e rápida, era um pouco intimidador, eles enchiam “a coisa” e éramos nós, a câmera, e algumas pessoas da equipe, foi bom, foi divertido.

Fionn Whitehead: Eu acho que é surpreendemente simples, parece mais complicado do que é, mas na verdade é ficar embaixo d’água por cerca de um minuto com uma câmera em uma caixa…

HS: Três minutos, três minutos…

FW: Quero dizer, desculpe, por cerca de dez minutos. Eu sou metade golfinho agora.

KM: Em filmes não recomendados para menores de 13 anos, geralmente só são permitidos dois palavrões (fuck), no filme. Você falou os dois.

HS: Eu acho que eu usei todos, é!

KM: Eu fiquei curioso. Você sabia, quando estava filmando, que você quem falaria os dois palavrões? Como isso fez você se sentir? Você ficou com as únicas duas!

HS: Fez eu me sentir muito “descolado”! Não, eu acho que ambas não estavam no roteiro, na verdade. Eu acho que o Chris cria esses mundos ao seu redor, onde você não sente que precisa atuar demais, ele torna tudo bastante instintivo. E eu acho que o mais legal de trabalhar com ele é que mesmo sendo um filme de alta escala, o processo de criação do filme num geral, você nunca sente como se estivesse em algo tão grande, ele torna tudo tão íntimo e é tipo você e a câmera e ele está ali, do lado dela, e eu acho que isso te transporta dali… ele facilita para que você domine aquilo, um deles [palavrão] não estava previsto, ele faz esse mundo onde você reage tão naturalmente a algo, e… e eu usei as duas, infelizmente.

Harry Styles e Fionn Whitehead entrevistados por Kristien Murato

Kristien Murato: Eu estou aqui para perguntar sobre, como foi crescer, como um garoto de 10 anos quais eram os seus sonhos? Atuar era algo que vocês queriam fazer? Vocês podem elaborar sobre isso?

Fionn Whitehead: Sim, eu acho que eu sempre…bom, não necessariamente sempre, mas desde bem novo eu sabia que eu queria atuar. Então provavelmente em torno dos 12, 13 foi que eu percebi que eu poderia fazer isso. Eu sou de uma família bem criativa então eu acho que eu era frequentemente encorajado a fazer as coisas que eu gostava de fazer ao invés de ir pelo aspecto de segurança do trabalho. Mas eu acho que sim, eu sempre soube que eu queria fazer algo criativo, atuar sempre foi uma paixão minha desde cedo. Eu acho que a maioria dos atores concordaria que a medida que você vai envelhecendo você descobre novas coisas que você ama sobre atuar. Eu acho que sempre começa com poder entreter as pessoas ou fazer os seus amigos rirem ou citar filmes e quando você continua você acha cada vez mais coisas que você ama sobre isso e a sua paixão cresce.

KM:  E você?

Harry Styles: Hum, sim eu acho que eu sempre fui um grande fã de filmes e atores. Você sabe, tem tantas coisas que eu assisti e senti que quando eu era mais novo, meio que molda você. Eu fiz um pouco quando eu era mais novo [atuar] e eu acho que com isso…quando eu ouvi sobre o projeto me pareceu tão emocionante e obviamente a perspectiva de poder  trabalhar com Chris foi incrivelmente emocionante. E agora eu me sinto muito sortudo por estar envolvido e poder fazer parte de algo tão maravilhoso. E podendo assistir agora, eu me sinto muito orgulhoso e meio que, feliz…

KM: Agora, o que é mais assustador: Estar no palco em frente de tipo  10.000 garotas ou ser dirigido por Christopher Nolan? É diferente, eu sei.

HS: Eu diria…é, é diferente. Eu diria que ambos são assustadores e não são ao mesmo tempo. Sendo um fã dos filmes do Chris e estar no set com ele é difícil não ficar impressionado com ele, com a maneira que ele trabalha. Você se sente sortudo de poder assistir alguém assim trabalhar e alguém que é tão apaixonado pelo que está fazendo. Eu sinto que é sempre um privilégio estar em volta de pessoas assim. Mas eu acho que, o Chris sabe o que ele quer e ele obviamente é um diretor tão maravilhoso, você com certeza sente que não quer desapontá-lo. Eu acho que isso é uma grande parte do nervosismo.

KM: Essa é uma pergunta diferente. Vocês sabem, esses soldados…para eles é muito fácil sacrificar a vida deles e eles sabem exatamente o que eles estão fazendo. Então qual é a coisa pela qual vocês sacrificariam as suas vidas?

FW: Bom, eu não tenho certeza se é fácil para os soldados sacrificarem a vida deles. Eu acho que, particularmente no período que nós estamos falando era uma coisa muito difícil para eles fazerem e acho que era frequentemente uma coisa dentro do que eles poderiam fazer. Eu não acho que muitas pessoas sabiam no que eles estavam se metendo, não sabiam que estavam sacrificando a vida deles, talvez. Tinha muita propaganda positivo sobre se juntar ao exército. Então é, eu não tenho certeza se foi uma coisa fácil para eles de fazer. Pelo que eu sacrificaria a minha vida?

HS: Eu acho que muito do que esses soldados acham que eles estão fazendo, muito começa em casa. E eu diria que a primeira coisa que vem a mente seria a família deles e eu acho para cada um desses jovens soldados – que não sabiam no que eles estavam se metendo – eu acho que muito disso começa com querer proteger a sua família, o que eu diria que é o que a maioria das pessoas diria agora que arriscariam a vida.

KM: Vocês não responderam a minha pergunta. Vocês são muito bons.

HS: Eu respondi!

FW: É, eu acho que aqueles que eu amo. Eu acho que essa é a resposta para a pergunta.

HS: Eu enrolei.

KM: Então você esta prestes a se tornar famoso, esse é o seu primeiro grande filme. Qual é a primeira coisa que você vai fazer quando se tornar famoso? E qual é a primeira coisa que você faria se você pudesse ter seu anonimato de volta por um dia?

FW: A primeira coisa que eu vou fazer quando me tornar famoso? Hum…

KM: Comprar uma casa grande em Beverly Hills.

FW: Não!

HS: Essa pergunta é maravilhosa!

FM: Bom!

FW: Eu não sei. Provavelmente vou lavar roupa ou ir fazer algumas compras. Eu não acho que eu faria algo muito extravagante para ser sincero. É, a fama não é algo que tenha chamado muito a minha atenção, para me interessar.

HS: Quer dizer, eu não sei. De verdade, eu não sei. Eu…eu não sei. Eu nunca pensei muito nisso.

FW: Ele faria compras também.

HS: Você apenas, você vive…e você sabe….

KM: Você só vive?

HS: Quer dizer, eu não sei na verdade. Eu não acho que….é, não é? 

KM: Bom, eles estão me falando para encerrar…

HS: Eles estão? Não, vamos lá. (Sussurrando) Obrigado.

KM: Muito obrigada garotos.

HS: Muito obrigado.

Harry Styles e demais atores para AP

HS: Eu diria que me dar conta do tamanho da produção foi muito incrível, eu acho que tanto faz o que você imagina que devam ser esses filmes enormes, esse foi muito ambicioso, mesmo para os padrões. Sabe, os barcos, os aviões e o volume de corpos e pessoas… é muito maravilhoso. Criou essa coisa onde todos tiveram um tipo de camaradagem, de tipo “ok, nós vamos fazer”, dava pra sentir que era um grande filme.

Christopher Nolan: Eu não sei, eu acho que não sabia de verdade o quão famoso Harry era. Quero dizer, minha filha falou sobre isso, meus filhos falaram sobre ele, mas eu não estava ciente, então, a verdade é que eu escalei o Harry porque ele se encaixou perfeitamente no papel e mereceu o seu lugar. Eu acho que o que ele faz no filme é marcante em sua veracidade. E eu espero que as pessoas venham ver sua atuação com uma mente aberta, porque eu acho que ele é um ator incrivelmente talentoso.

AP: Quando você ficou sabendo que iria trabalhar com o Harry, você tinha alguma expectativa?

HS: Não responda isso.

FW: Não, eu não tinha expectativas, na verdade, eu era um novato, ele era um novato, eu apenas estava disposto e pronto para trabalhar, quero dizer, eu já havia feito uma audição com ele…

HS: Nós fizemos a audição juntos!

FW: Então eu sabia, eu sabia que ele era bom.

HS: Nós já somos muito bons amigos!

FW: Sim, nós já somos muito próximos.

AP: Você está planejando focar mais em atuar? Como você vai encaixar isso com a sua carreira musical?

HS: Eu não posso dizer que eu pensei muito sobre isso, quando eu ouvi sobre esse filme, eu senti que ficaria muito animado para assistir, mesmo não estando envolvido de forma alguma, e eu senti que fui muito sortudo por poder estar envolvido em algo que eu achei que seria maravilhoso e obviamente, assistir o filme, sou muito fã de filmes, então eu acho que será divertido. Eu não pensei muito nisso.

HS: Boa, foi boa [a reação dos meninos da 1D sobre Harry estar atuando em Dunkirk]. Eles são grandes fãs do Chris também e eu acho que eles estão muito animados para assistir o filme. Foi boa!

AP: Vocês estavam familiarizados com eles [1D]? Não são fãs?

Barry Keoghan: Sim, quero dizer, eu era, pra ser honesto. Eu sou fã deles.

Jack Lowden: É difícil não saber quem ele é. Eles são como os Beatles.

Mark Rylance: Eu ouvi sobre ele da minha sobrinha, tenho uma sobrinha de 11 anos de idade e ela estava mais animada do que qualquer coisa que eu já fiz, porque eu estava atuando com Harry Styles.

AP: Você é uma superestrela agora!

Mark Rylance: Sim, eu acabei subestimando demais.

AP: Você merece um Oscar, ou qualquer coisa do tipo! Por ter trabalhado com o Harry Styles!

Mark Rylance: Eu ganhei “o Harry”.

Harry Styles e Fionn Whitehead entrevistados por Kjersti Flaa

Kjersti Flaa: Como vocês estão?

Harry Styles: Muito bem, obrigado. 

KF: Kjersti Flaa da Noruega. Então, eu tenho perguntado a muitos atores sobre isso ultimamente. O que vocês acham – o seu nível de fama é tão grande  (falando sobre o Harry) e o seu, provavelmente depois desse filme as pessoas vão te reconhecer (falando sobre o Fionn) – quais são os equívocos sobre a fama hoje em dia?

Fionn Whitehead: Eu não sei, eu acho que provavelmente a ideia que as pessoas querem isso. Eu acho que ninguém – normalmente – vai atrás da fama. Todo mundo que é ator ou um músico ou o que for, eles estão fazendo o que fazem por que eles amam o seu trabalho, eles não estão fazendo por que querem ser famosos ou conhecidos. Eu acho que esse é um grande equívoco, as pessoas que estão nisso para serem famosos provavelmente estão fazendo isso pelos motivos errados.

KF: O que você acha, Harry?

HS: Hum, eu acho que, eu não sei realmente. Eu acho que é uma coisa, hum…eu não sei, eu nunca pensei muito nisso. Eu estava meio que…eu não sei, eu gosto de….eu não sei. Eu tento não pensar muito nisso, eu meio que, gosto de separar o que é trabalhar e não trabalhar e eu sinto que isso ajuda. A diferença entre os dois. Eu acho que quando você vê pelo que realmente é, é muito mais fácil de lidar com isso do que se você acreditar que isso é a sua vida inteira, é ai que é muito fácil se perder. Se você puder sair disso e ver pelo que realmente é, é mais fácil lidar com isso eu acho. Mas eu não sei, eu nunca usei isso para medir nada, na verdade. Eu tento não pensar muito nisso.

KF: Então, eu acho que vocês tiveram que ter muito trabalho duro, por coisas desconfortáveis para filmar este filme então qual foi a primeira coisa que vocês fizeram quando vocês terminaram de filmar?

FW: Eu dormi muito. Eu dormi muito! Eu acho que a primeira coisa, dois dias depois de nós terminarmos de filmar eu dormi uma quantidade anormal, provavelmente uma quantidade perigosa. É. E daí eu relaxei um pouco por uma semana. Meio que, nós terminamos de filmar em LA e eu estava com meu amigo – meu amigo veio para LA para passar um tempo juntos – e nós exploramos um pouco, fomos nadar no mar, fomos surfar, fui para Malibu Creek, eu me diverti, é.

KF: Isso é legal.

HS: Dormi. Eu trabalhei logo em seguida. Eu fui direto para o estúdio então foi meio que fluído, mas eu acho que principalmente dormi. Eu acho que não importa quão difícil era no set todo mundo sabia que em comparação ao que aconteceu, aquilo não era nada. Eu acho que todo mundo tinha um foco que era tão maior do que qualquer desconforto pessoal, eu acho que todo mundo queria fazer o  filme o melhor que desse pra fazer e não tinha muito espaço para reclamar ou nada do tipo.

KF: Então fez meio que vocês pensarem – por que quando eu assisti ontem me fez pensar que tipo de pessoas eu sou? O que eu faria nessas situações –  fez vocês refletirem sobre vocês mesmos?

HS: Sim, é impossível saber como você reagiria nessas situações até você estar realmente nelas. Eu acho que você meio que pensa sobre isso e imagina o que você pode fazer, ou pelo menos gostaria de pensar que você poderia fazer. 

KF: Estar no palco, como um músico tem alguma semelhança com atuar? Eu acho que você atua quando está no palco também, certo?

HS: Hum, quer dizer…eu acho que até certo ponto, eu acho que as semelhanças são que tem muito de, você constantemente poder ir para outro lugar, eu sinto que fazer isso é quase a mesma coisa. O Chris tem essa coisa maravilhosa de criar um mundo a sua volta que ajuda tanto e exige muito menos atuação. Então eu acho que ele quer capturar reações naturais e você realmente reagindo a coisas e pessoas pela primeira vez. E eu acho que ele ajuda o máximo que dá para ajudar, no sentido de te levar a um ponto em que você sente o que está acontecendo a sua volta. Então sim, eu acho que tem algumas pequenas semelhanças e também são totalmente diferentes ao mesmo tempo. Então foi interessante, eu achei….eu me diverti. 

KF: Ótimo. Obrigada garotos.

HS: Obrigado! Muito obrigado.

Tradução por Cynthia DuarteDaniele Amaral.
Página 5 de 103...34567...

Strict Standards: Declaration of cpm::debugPrint() should be compatible with cpm_dao::debugPrint() in /home/hstylesbr/public_html/galeria/cpmfetch/cpmfetch.php on line 50

Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/hstylesbr/public_html/galeria/cpmfetch/cpmfetch_dao.php on line 1196
DL193edU8AAmwaz.jpg
DL172roUQAA74WN.jpg
DL193ecV4AAHzUc.jpg
DL58RnJV4AAALOH.jpg
DL094crUIAAHRO3.jpg
DL33CxLVoAIulmX.jpg
DL33CxHV4AAvmq1.jpg
DL33CxIVAAADB3v.jpg
DL32lOHWkAES0Cb.jpg
DL32lkbW4AIc4kZ.jpg
DL30HssWkAA-ibO.jpg
DL32lDpXkAApnsd.jpg
DL30HDWX4AYixja.jpg
DL30F9DW0AIr-bH.jpg
DL18KXrUQAA51bg.jpg
DL18tEoUIAADTzY.jpg
DL8oHhPXUAAAU-w.jpg
DL09YU2UEAAtbwY.jpg
DL07VuUUMAAEcod.jpg
DL08oVYW4AEPqUL.jpg
DL07fjeVoAA9mX4.jpg
DL4HEaMXUAY1FOz.jpg
DL07fjdU8AAaoyW.jpg
DL4GxwoX4AAgosF.jpg
DL4HEaKXcAMD5LV.jpg
DL4GxwnXkAYxCVk.jpg
DL4GdrVWAAEywsf.jpg
DL4GdrXXkAE_ODK.jpg
DL3zzTwWsAEFgwP.jpg
DL3zztsWAAIObPs.jpg
DL3zzDYXUAE83Ht.jpg
DL3zyzaXkAELTV6.jpg
DL3z9nnX0AEihG4.jpg
DL3YlfNW4AAm2Ue.jpg
DL3YlfLX4AAAcig.jpg
DL3YlfLXkAA_CJ6.jpg
DL3xyiOUQAEt4Jk.jpg
DL3xyhpU8AEv39D.jpg
DL3xyhnUEAAfEr5.jpg
DL3xyhlUEAA6AnC.jpg